Criação

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Criação



Os Porquinhos-da-índia são seres muitos amorosos, principalmente os bébés, mas só se deve fazer criação plenamente consciente que se está a lidar com seres vivos e evitar fazer experiências apenas por curiosidade. Só deve prosseguir se já tiver decidido que vai ficar com os bébés ou se já tiver encontrado pessoas interessadas em oferecer um novo lar para estes.


Quem deseja fazer criação deve equacionar os seguintes problemas antes de acasalar dois animais :

- Informar-se sobre o tempo de gestação.
- Qual a idade aconselhável para proceder à criação ( nos porquinhos aconselhamos um minimo de 6 meses e nunca mais de 1 ano para a primeira gravidez).
- Embora seja subjectivo deve ser dado um tempo para a fêmea descansar e não acasalá-la logo a seguir ao desmame.
- A disponibilidade e condições que têm para oferecer, pois por exemplo uma porquinha grávida deverá se exercitar para não ficar demasiado gorda e evitar problemas no final da gravidez.
- Uma porquinha deve ficar separada do macho após o nascimento, por isso deve-se ter condições e gaiolas para isso.
- Tem que se saber antecipadamente qual a solução a dar aos filhotes e se a solução é vender ou dar poderá acontecer que ninguém esteja interessado e ter-se que ficar com eles. Isso deve ser equacionado. Por vezes os cruzamentos nem sempre resultam no que desejamos.
- No fundo são muitos problemas a equacionar e deve-se evitar pensar em tudo isto após o facto consumado, ou seja os porquinhos já estarem na mesma gaiola, pois a partir de um mês de vida os machos já podem engravidar as fêmeas com o grave risco para a saúde destas que daí advém.



Os animais com que vai fazer a criação devem ser absolutamente saudáveis, comerem bem e estarem em idade própria. Devem ser escolhidos de forma a que o resultado final fique dentro do pretendido, quer em termos de aspecto, como de origem. Senão, fica aberta a porta a coincidências que podem dar estranhos resultados, onde o resultado final seja imprevisível. Estes "produtos de coincidências" não são menos amorosos, mas poderá ser então difícil encontrar pessoas que estejam interessadas neles. Aconselha-se que os pais devem ser calmos e gostarem do contacto com os humanos, de modo a que os novos porquinhos adquiram esse tipo de comportamento e não sejam demasiado tímidos.
A idade ideal para o primeiro acasalamento de uma fêmea é entre 6 meses e 1 ano, sendo que se for demasiado jovem, poderá ter alguns problemas, pois ainda está numa fase de crescimento. Também é de evitar que o primeiro acasalamento ocorra em fêmeas com mais de 1 ano, dado que existe um anel elástico na zona da anca que ao fim desse tempo ossifica, impedindo assim que os bébés passem e originando a morte tanto destes como da mãe. É devido a este facto também que após a primeira gravidez, o período máximo até uma nova gravidez seja no máximo de 1 ano, evitando assim a solidificação óssea da passagem. Se a fêmea tiver mais de 4 anos, não deve ser usada mais para criação. Em caso de fêmeas usadas para criação o ideal é a gravidez acontecer 2 vezes por ano, evitando-se no entanto que a fêmea fique grávida após o nascimento das crias, pois como tem de amamentar os bébés, uma nova gravidez irá sujeitá-la a um enorme esforço.
O macho não deve ser mais novo do que 6 meses e pode produzir bébés até idades avançadas, mas por causa de razões de saúde do próprio animal ( devido ao esforço efectuado ), deve-se evitar fazer criação com machos com idade superior a 5 anos.
Num período que varia entre 14 e 18 dias a fêmea fica com o cio. Senão estiver preparada ela responde ao macho de uma forma agressiva, podendo inclusive, lançar jactos de urina na sua direcção.
Se ela estiver receptiva, então os dois passam à acção executando o acto sexual várias vezes ( em média 20 , com duração de poucos segundos cada ), até a fêmea ficar satisfeita. Quando essa fase é atingida ela mostra ao macho que não está mais interessada e pode mostrar-se de novo agressiva.
A data de acasalamento deve ser anotada, de forma a que se possa calcular a data de nascimento dos bébés. Estes normalmente nascem 65 a 68 dias depois. Nos Porquinhos-da-índia, os bébés já nascem completos, com pêlo envolvendo todo o corpo, com dentes e com os olhos abertos.
Durante a gravidez o peso deve ser controlado regularmente. É importante tratar bem a mãe e dar-lhe boa comida, de modo a que os bébés tenham um bom desenvolvimento.
Na quarta semana de gravidez já é possível notar a barriga da fêmea e quando se chega à sexta, começa-se a sentir os movimentos dos bébés na barriga da mãe.
Um pouco antes do nascimento, o macho deve ser isolado, já que a fêmea após o nascimento volta a estar receptiva.
O nascimento é muito rápido e usualmente acontece sem dificuldades de maior. Os primeiros sinais notam-se quando a fêmea começa a agir de uma forma bastante nervosa.
Depois do nascimento a fêmea liberta as crias da membrana envolvente e lambe-as de forma a secá-las. O resto dos tecidos que vêm acompanhados com as crias são comidos pela mãe.
Se o nascimento demora mais do que uma hora e meia é melhor procurar ajuda, neste caso ligar ao veterinário !!


Os bébés pesam entre 50 e 150 gramas no momento do nascimento. Nos primeiros três dias eles perdem algumas gramas, mas depois disso devem aumentar de peso gradualmente. Depois de duas semanas deverão ter o dobro do peso do nascimento, e o triplo quatro semanas depois. Então é a altura exacta de os separar da mãe. Se o peso dos bébés não se desenvolver bem neste período, o melhor é amamentar pela sua própria mão os mais pequenos de forma a ajudar a mãe.
Mais ou menos com cinco semanas os porquinhos chegam à puberdade, pelo que é obrigatório por essa altura separar os machos da mãe, de forma a evitar que estes tentem acasalar com ela ( já ouvimos dizer que machos com apenas três semanas podem fazer isso ). É nessa altura que se deve separar então os machos dos fêmeas.

Alimentar à mão

No caso da mãe morrer, de não tomar conta dos bébés, ou ainda, de não ter leite suficiente, terá então que alimentar as crias à mão. Felizmente os porquinhos nascem completamente desenvolvidos e podem comer comida sólida, logo a partir do primeiro dia. Se os pequenos beberem leite da mãe nos primeiros dias, então têm boas chances de sobreviver, dado que obtêm assim as substâncias imunizantes que os ajudam a ficar protegidos. E aproveitam também para comer as fezes da mãe de modo a desnvolver a flora intestinal.
É possível obter de um veterinário leite especial para roedores, mas isso não é absolutamente necessário. Nós próprios já tivemos que alimentar alguns bébés à mão, e porque nunca tivemos em contacto com um especialista nesta área, o que se segue é baseado apenas na nossa experiência.
Se fôr possível, o melhor é colocar o porquinho-bébé junto de um porquinho adulto que seja calmo, talvez com uma outra mãe. Este poderá aquecê-lo e fazer-lhe companhia, para além de ensinar-lhe o que deve ou não comer e proporcionar boas fezes para o bébé comer e adquirir assim as bactérias necessárias à sua digestão. O leite que nós usamos para amamentar os porquinhos-bébés é o 1º leite para bébés humanos desde o nascimento ( por exemplo, o H.A.1 da Nestlé ). É feito da mesma maneira de como se fosse para humanos, como é explicado na embalagem ( 1 colher de medida para 40 ml de água morna ). Este leite deverá ser dado 4 - 8 vezes ao dia numa seringa ou num pequeno biberão. Da primeira vez, poderá ter que ser usada uma pipeta, já que os bébés não sabem como beber. No entanto aprendem-no muito depressa e verá que ficarão mestres na arte de beber. Uma vez por dia deverá pôr gotas de vitaminas especiais para roedores à venda nas lojas de animais, junto com o leite. Ao leite, deve-se juntar flocos de aveia de modo aos bébés ganharem peso rapidamente, pequenas verduras, feno e pequenas doses do que os adultos comem. O que não comerem deve ser retirado da gaiola regularmente. Depois das refeições convém massajar o estômago dos bébés de forma a melhorar a digestão destes. Depois disso observa-se que fazem rapidamente as necessidades.
O aparelho digestivo dos porquinhos-bébés é muito sensível e por vezes podem ter diarreia. É importante tratá-la imediatamente, já que os bébés podem morrer. Nós damos UL250 dissolvido em água e depois ficam a comer apenas feno. Aconselhamos a falar ao veterinário sempre que aconteça algo fora do habitual, como esta por exemplo.
É sensato dar sempre, mesmo que eles não queiram, água fresca. Desta forma ficam em contacto com a água preparando-se assim a futura substituição do leite pela água. Assim ficam habituados a beber água e não irão estranhar quando já não se lhes der leite.
A mãe amamenta as suas crias durante 3 semanas, sendo 2 semanas o tempo obrigatóriamente necessário de modo aos bébés crescerem sem problemas. Algures entre as duas e as três semanas o leite deve ser posto de parte. O tempo exacto deve ser achado tendo em conta o estado dos bébés e o que estes costumam comer, de modo a fazer a passagem sem problemas de maior.
Infelizmente os porquinhos-bébés são fácilmente atacados por todo o tipo de bactérias e vírus. Por causa disso é absolutamente necessário manter a gaiola limpa. Se no entanto se notarem sintomas, o melhor é procurar um veterinário.


Poderá ter uma ideia sobre a criação de Porquinhos-da-índia

2 comentários:

neto disse...

eu adoro porquinhos-da-india
e principalmente pretendo fazer uma criassão
pois vou comprar uma casa com um grande quintal para deichar so com terra e plantar verduras e soltar varios casais para criarem e se desemvolverem e comessarem a povoar o meu quintal

Celly Marques disse...

olá tenho dois porquinhos da india uma a mãe e o bebe que ainda mama,falam para separar com tres semanas,mais qndo devo junta-los novamente.???e tambem qndo ganhei ja veio os dois e não sei quanto tempo tem cada um como posso descobrir????obrigado!!

Enviar um comentário

 









© 2010-2011 Todos os direitos reservados - cantinhos dos porquinhos da india- Template Para Blogspot Blogger